Parque Nacional da Chapada dos Veadeiros
Parque Nacional da Chapada dos Veadeiros

Localizada em Goiás, a Chapada dos Veadeiros fica entre as cidades de Alto Paraíso de Goiás, os distritos de São Jorge e Cavalcante. É uma região que abriga rios cristalinos, piscinas naturais, cânions, cachoeiras de 100 metros, paredões de pedra e vegetação de cerrado. Não é à toa que o parque é considerado Patrimônio Natural Mundial da UNESCO desde 2001.

A entrada do parque fica na cidade de São Jorge e a maioria das atrações estão em propriedades particulares. Para chegar até elas você vai precisar fazer trilhas de até 5 quilômetros. Como recompensa você terá uma das mais belas paisagens naturais do planeta.

Alto Paraíso

A cidade atrai turistas de vários lugares do Brasil e do mundo que vem em busca de ecoturismo. Por estar quase que na mesma latitude do Machu Picchu e por ter várias minas de cristais, muitos acreditam que há uma energia especial no local. Com isso a Chapada dos Veadeiros se tornou um destino esotérico.

Cavalcante

Mais da metade do Parque Nacional dos Veadeiros pertence à cidade de Cavalcante, porém não há entrada para os visitantes. A maioria das atrações estão em propriedades particulares e o acesso é por terra. As cachoeiras da Prata e Santa Bárbara são as mais famosas. Cavalcante também é um destino para famílias, amigos e casais que estão em busca de pousadas com boa estrutura.

São Jorge

Essa pequena vila pertence ao município de Alto Paraíso, mas é bem independente. A entrada do parque fica em São Jorge. A vila é repleta de turistas que preferem as casas coloridas, o chão de terra batido, bares e restaurantes cada vez mais charmosos. Da para caminhar sem pressa e aproveitar a tranquilidade do local.

Como chegar a Chapada dos Veadeiros

A capital mais próxima é Brasília. De carro, você vai pegar a saída para Planaltina (BR-020) e em seguida saída para Alto Paraíso (BR-010/GO-118). De ônibus são três horas de viagem pela companhia Real Expresso. Alto Paraíso a Cavalcante são 91 quilômetros de estrada asfaltada. Alto Paraíso e São Jorge são 22 quilômetros. O carro seria a melhor opção para circular na região e conhecer as cachoeiras.

Onde comer

Há diversas opções de bares e restaurantes na região e nas cidades que compõem o parque nacional. Uma refeição que você não pode deixar de provar é a Matula.

A Matula é sinônimo de marmita. Em Goiás trata-se de um tutu feito de feijão branco engrossado com farinha de mandioca e incrementado com alho, pedaços de linguiça e carne de sol. Essa refeição era preparada pelos tocadores de gado entre os séculos 19 e 20. No Rancho do Waldomiro é uma refeição deliciosa servida com mandioca frita, abóbora, paçoca e arroz. Sem falar dos pedaços de carne que vão ao preparo do feijão.

Quando ir

A melhor época para visitar o parque e as cidades é entre os meses de abril a outubro. Nessa época as chuvas são menos intensas na região e o volume de água é bem mais agradável. No verão as chuvas podem atrapalhar e restringir o acesso a algumas atrações.

O que fazer

Trilha da Severiema

Recomendado para pessoas com difícil locomoção. A trilha de 800 metros, toma cerca de 1h30 (ida e volta) e leva até Córrego Rodoviarinha. São no máximo 30 visitantes por dia.

Trilha dos Cânions

Uma trilha de nível moderado-avançado. Leva cerca de cinco horas para percorrer 12 quilômetros. As principais atrações são a cachoeira da Carioca, Cânion II, Rio Preto e Cânions de Pedra. No máximo 200 visitantes por dia.

Trilha dos Saltos

Uma trilha que mistura nível moderado com pesado e leva até o Garimpo de Cristal. Um dos maiores garimpos de cristal de quartzo da região. Outra grande atração da trilha é o Mirante do Salto. Este possui 120 metros e tem a corredeira do Rio Preto como ponto alto do percurso. Há ainda uma trilha suspensa com 230 metros para as corredeiras, mas não há acesso para pessoas com dificuldade de mobilidade. São no máximo 250 visitantes por dia.

Travessia das Setes Quedas

São dois dias de caminhada para percorrer 24 quilômetros em um nível pesado. É preciso reservar com antecedência uma vez que tem o limite máximo de 15 pessoas por grupo. Essa trilha só acontece em períodos específicos e tem o limite de 30 visitantes por dia.

Algumas atrações ficam em propriedades privadas e é preciso pagar taxa de preservação. Não deixe de conhecer o Vale da Lua, uma formação rochosa com piscinas naturais, buracos e grutas. Jardim de Maytrea é um vasto campo com cadeias de montanhas, veredas de buritis e flores. Perfeito para apreciar o pôr do sol. Outras atrações imperdíveis são morro da baleia, cachoeira do abismo e mirante da janela.

Dica

  • É importante sempre o acompanhamento de guias treinados para realizar as trilhas
  • O parque não funciona às segundas-feiras exceto no mês de julho.
  • É recomendável tomar a vacina contra febre amarela 10 dias antes da viagem

Crédito das fotos: divulgação

DEIXE UM COMENTÁRIO

Please enter your comment!
Please enter your name here