Malta

Assim que o viajante chega em Malta, ele descobre um pequeno arquipélago de várias facetas. Como esse destino está no meio do caminho entre Tunísia e Sicília, é praticamente uma ponte entre Europa e África. Por conta de sua posição geográfica privilegiada, teve um passado bem turbulento e movimentado. Por isso conta com um patrimônio histórico singular. Além disso passaram por ali fenícios, gregos, romanos, árabes, cavaleiros cruzados até chegar nos britânicos. Assim sendo cada casa, cada pedra, cada estrutura conta um pouco da história de Malta que acabou virando patrimônio cultural da humanidade.

Dicas de viagem – Londres
Dicas de viagem – Ibiza
Dicas de viagem – Cannes

Embora Malta seja um país pequeno, ele agrada aos mais variados públicos. Se por um lado Valletta é o centro logístico, comercial e turístico. Por outro lado Saint Julian e Silema concentram a vida noturna e as agitadas baladas. Por fim Mdina e a Ilha de Gozo trazem mais descanso e tranquilidade. O país ainda conta com um extenso e rico acervo arquitetônico e cultural. Além disso Malta é um excelente destino para os amantes de esportes náuticos, pratica de golfe ou aqueles que querem apenas relaxar. Como se não bastasse a gastronomia é um dos pontos altos do país. Tudo reflexo de suas raízes complexas.

Além disso Malta é o menor país da União Europeia, formado por três ilhas: Malta, Gozo e Comino. As ilhas de Gozo e Comino são bem pequenas e podem ser percorridas a pé em um dia. Ainda que Malta seja maior, é possível conhecer a ilha caminhando. A maioria dos pontos turísticos são próximos e o transporte público funciona muito bem. As águas cristalinas e transparentes do mar Mediterrâneo são perfeitas para um mergulho.

Como chegar em Malta

Em primeiro lugar não há voos direto do Brasil para Malta. É preciso fazer de uma a duas conexões em algum ponto da Europa para seguir viagem até o Aeroporto Internacional de Gudja. Além disso o aeroporto fica na cidade de Luqa, a 10 quilômetros da capital Valletta. As principais companhias áreas são Air Europa, Air Malta, Alitalia. Saindo de Londres British Airways, EasyJet e Ryanair.

Por outro lado para quem já estiver na Europa e quiser chegar em Malta via marítima, o arquipélago fica a menos de cem quilômetros da costa da Sicília. Há diversos catamarãs que partem de Pozzallo e a viagem dura cerca de duas horas.

Quando ir

Sem dúvida Malta pode ser visitado em qualquer época do ano. Contudo o melhor período é entre os meses de abril e junho. Quando as temperaturas estão mais amenas e praticamente não chove. Além disso os meses de julho e agosto são muito quentes, o que pode ser um pouco desagradável. Esse período é considerado alta temporada e os preços dos serviços sobem um pouco.

Onde ficar

Primeiramente a ilha de Malta é composta por pequenos povoados que se espalham ao longo da costa. Entretanto boa parte das redes hoteleiras se concentram entre as cidade de Valletta, St. Julian’s e Sliema. Os três povoados ficam a menos de 10 quilômetros de distância e são conectados por uma excelente malha de transporte público. Sendo assim Valeta é capital do país centro comercial, turístico e histórico. Já St. Julian’s concentram a vida noturna e as agitadas baladas. Por fim Slime é um destino para quem procura paz e tranquilidade. Portanto onde se hospedar depende do tipo de turismo que o viajante procura.

Onde comer

Por outro lado uma combinação da história de Malta com a gastronomia, gerou uma culinária muito saborosa. Com sabores árabes, italianos e mediterrâneos, as cidades estão cheias de excelente restaurantes internacionais e regionais. Sendo assim não deixe de provar alguns dos pratos típicos de Malta como Aljotta, uma sopa feita com peixe e tomate. Além disso o Minestrone, ensopado de legumes muito comum na Itália e o Pastizzi, uma espécie de massa folhada recheada. Por fim vale provar a Bigilla, uma pasta feita à base de feijão e o Ġbejna, um queijo muito popular no país.

O que fazer

Mdina

Mdina é a antiga capital da Malta mas que hoje se tornou uma enorme cidade amuralhada e considerada Patrimônio da Humanidade pela UNESCO. Além disso está localizada no meio da ilha e preserva uma arquitetura muito rica com construções medievais erguidas no século 15. Mdina tem grande influência árabe sendo seu nome inspirado na cidade árabe de Medina.  Portanto não deixe de conhecer esse incrível povoado turístico repleto de ruelas, restaurantes e lojinhas de souvenir.

Valletta

Embora Valletta seja a capital do país, a cidade possui menos de 10 mil habitantes. Contudo se destaca por suas atrações culturais. Basta uma caminhada pelas ruas da cidade e o visitante encontrará diversas igrejas, com destaque para as belíssimas Co-Catedral de São João e a Paróquia do Naufrágio de São Paulo. Além disso outras atrações são imperdíveis como Fort St Elmo que abriga o Museu Nacional de Guerra e o Jardins de Barrakka que foi projetado no século 17 no alto de uma colina. Todos os dias no Jardins de Barrakka, soldados disparam balas de canhão em direção ao mar. As balas são de mentira mas o espetáculo é incrível.

St. Julian’s

Sem dúvida é a cidade mais badalada de Malta. Localizada a oito quilômetros de Valeta, St Julian’s possui uma atmosfera bem jovem e é a queridinha entre os intercambistas. Além disso outro atrativo da cidade é Spinola Bay, uma charmosa enseada perfeita para caminhar e curtir o visual do Mediterrâneo. Como se não bastasse St Julian’s possui excelentes praias para banho como St. George e Balluta. Contudo nos finais da semana ficam abarrotadas de gente.

Popeye Village

Certamente uma das atrações mais divertidas de Malta. A Popeye Village foi construída para servir de cenário para o famoso filme da Disney e acabou se transformando em um verdadeiro parque de diversões. Além disso o parque possui atrações para todas as idade, desde carrossel até degustação de vinho. A entrada é gratuita mas cada atração é paga individualmente.

Popeye Village - Malta
Popeye Village

Gozo

Gozo é a segunda maior ilha de Malta. Localizada a cerca de seis quilômetros da ilha principal. Apesar de menor, não faltam atrações históricas e culturais. Destaque para o templo monolítico de Ġgantija, uma das construções religiosas mais antigas do planeta. Cidadela de Gozo e o imenso templo de Ta’ Pinu. Contudo a grande atração e cartão postal de Malta é a Azure Window, um arco de rochas esculpido naturalmente pela atração dos ventos e do mar. Além disso esse lugar reúne piscinas naturais na baixa maré e é um dos melhores pontos para mergulho. No ano passado o mundo perdeu um dos cartões postais mais incríveis. Por conta da forte tempestade e mar agitado, a Azure Window despencou. Infelizmente esse é um dos lugares que ficará na memória de quem conseguiu visitar o destino.

Blue Lagoon

Sem dúvida um lugar que o turista não pode deixar de visitar em Malta. Localizada na ilha de Comino, a Blue Lagoon é um lugar cercado por rochas. Apesar de ter uma água fria, vale muito a pena dar um mergulho.

Gruta Azul

Certamente um lugar que deixar o turista de boca aberta. Localizado no extremo sul da ilha principal, a Gruta Azul é um conjunto de cavernas naturais a beira mar. Só é possível chegar lá de barco. A gruta impressiona pela mistura de rochas esbranquiçadas e mar azul. Além disso durante a maré baixa é possível mergulhar nas piscinas naturais.

Gruta Azul - Malta
Gruta Azul

St. Peter’s Pool

St. Peter’s Pool é mais uma piscina natural esculpida pelas rochas a beira mar. Além disso fica no povoado de Marsaxlokk, cerca de 12 quilômetros de Valeta. Mesmo assim vale a pena dar uma esticada até lá e curtir um dia de piscina.

St. Peter's Pool - Malta
St. Peter’s Pool

Hypogeum

Certamente uma passeio incrível. O Hypogeum é o único templo subterrâneo pré histórico conhecido. Foi descoberto acidentalmente em 1902 por um pedreiro que fazia fundações de algumas casas na ilha. Além disso são permitidos apenas 80 visitantes por dia (então garanta seu ingresso com antecedência). Como se não bastasse figura na lista dos Patrimônios Mundiais da UNESCO. É o único desse gênero no mundo.

Hypogeum - Malta
Hypogeum

Dicas

  • A língua oficial é maltês, uma mistura de árabe na gramática, muito latino no vocabulário e ainda adota diversas palavras do léxico inglês. Além disso inglês é a outra língua oficial do governo mas italiano também é falado.
  • A moeda oficial é o euro.
  • Brasileiros não precisam de visto para entrar no país.
  • Por outro lado as tomadas são do tipo G, 230V. As mesmas usadas no Reino Unido.
  • O fuso horário de Malta é 4h+ com relação a Brasília.

Crédito das fotos: divulgação

DEIXE UM COMENTÁRIO

Please enter your comment!
Please enter your name here