Rio Negro - Manaus
Rio Negro - Manaus

Capital do Amazonas, Manaus é um cidade com pouco mais de dois milhões de pessoas e muito pouco explorada. No coração da floresta Amazônica, longe das grandes capitais, centros urbanos e de difícil acesso. A maioria dos visitantes vão em busca de ecoturismo e turismo de aventura. Porém basta uma caminhada no centro da cidade para o turista se apaixonar pela arquitetura local.

De cara você se assusta com a quantidade de verde. O mar de floresta é o que mais encanta os visitantes que vão até lá. Essa cidade é um polo industrial que movimenta bastante a região, porém ainda preserva suas características locais. Um destino cheio de charme, histórias e surpresas onde você descobre expressões e uma mistura de raças.

Como chegar a Manaus

Há diversos voos saindo das principais capitais do país. O aeroporto Internacional de Manaus fica afastado do centro da cidade. Como os micro ônibus não oferece espaço para bagagem, a melhor maneira de chegar ao aeroporto é de táxi. Manaus oferece também voos internacionais, principalmente com Estados Unidos.

Outra maneira de viajar entre algumas cidades é de barco. Essa é uma prática bem comum entre os moradores locais por ser mais barato e em alguns casos a única alternativa. Esse tipo de locomoção pode ser bem desconfortável e leva o dobro do tempo. O carro é outra maneira de se viajar entre as cidades e pode ser uma boa aventura mas em alguns casos é desaconselhável.

Quando ir

Existem duas estações bem distintas e que pode proporcionar experiências completamente diferentes. O período de chuva e a seca. No entanto esteja preparado para temperaturas altas o ano inteiro. Devido à umidade, o tempo abafado deixa a sensação térmica sempre mais elevada.

A estação seca vai de junho a novembro. As chuvas são menores e as águas dos rios diminuem formando as praias fluviais. A estação chuvosa vai de dezembro a maio formando rios super cheios e os igapós.

O que fazer

Encontro das Águas

É um fenômeno conhecido mundialmente e que atrai turistas de diversas partes do mundo. O barrento rio Solimões e o escuro rio Negro possuem temperaturas, velocidade e níveis de acidez bem diferentes (basta colocar a mão na água para perceber a diferença). Por isso correm lado a lado por seis quilômetros até se transformarem no rio Amazonas. Neste mesmo passeio é possível observar botos que acompanham o passeio de barco, a população ribeirinha, igrejas, escolas e casas flutuantes construídas de maneira perfeita para evitar o alagamento.

Mercado Municipal Adolpho Lisboa

O mercado da cidade foi construído em 1883 no auge do ciclo da borracha e as margens do Rio Negro. É um dos melhores lugares para ter contato com a população local, observar os costumes e cultura.

Arquitetura e História

Como já mencionamos anteriormente, caminhar pela cidade de Manaus é uma verdadeira aula de história. A cidade se destacou muito durante o auge da borracha que movimentava a economia do país. Não deixe de conhecer a antiga sede do governo. O Palacete Provincial que abriga um centro cultural, museu e pinacoteca. Palácio Rio Negro que possui obras de artes clássicas e o Palácio Rio Branco.

Teatro Amazonas

Um dos mais belos teatros do Brasil construído durante o ciclo da borracha. As visitas são monitoradas, mas você consegue visitar o local assistindo a peças de teatro ou shows. A arquitetura é neoclássica e é possível ver pinturas do italiano Domenico de Angelis pelo lugar.

O famoso desenho do calçadão de Copacabana é original de Manaus. As ondulações representam o encontro das águas do Rio Solimões com o Rio Negro. Está localizado no largo São Sebastião, onde está o teatro municipal.

Bosque da Ciência

É um reserva dentro da cidade mantida pelo Instituto Nacional de Pesquisa da Amazônia (INPA). No Bosque da Ciência é possível ter contato com animais como ariranha, peixe boi, tamanduá e descobrir curiosidades.

Museu do Seringal

Saindo da Marina em um trajeto que leva cerca de 25 minutos até o museu do Seringal. Esse lugar te leva de volta ao passado e dá uma aula sobre o ciclo da borracha. A entrada custa cerca de R$5 reais e você conhece desde a casa da família do barão até a sala de banho das mulheres. Um passeio incrível onde é possível observar o processo de fabricação da borracha e as condições sub-humanas que os seringueiros eram mantidos.

Praia da Ponta Negra

Quem acredita que só existe praia no litoral é porque ainda não ouviu falar da praia da Ponta Negra em Manaus.

Dicas

  • O clima é tropical úmido então você deve estar preparado para a sensação de abafamento constante e em qualquer época do ano.
  • Se tiver oportunidade de se hospedar uma parte da viagem na cidade e outra na floresta, será uma experiência inesquecível.
  • Lembre-se de levar chapéu, protetor solar, óculos escuro, bastante repelente, tomar sempre muita água e roupas leves.
  • O fuso horário de Manaus é uma hora atrás de Brasília. Não esqueça de mudar o relógio.
  • Carregue sempre um mapa com você uma vez que a cidade é mal sinalizada.
  • Lembre-se que o atendimento ao cliente não é um forte da cidade. Não espere um atendimento de primeira como em outras cidades do Brasil.

Crédito das fotos: divulgação

COMPARTILHAR
Artigo anteriorIlhabela
Próximo artigoJericoacoara

DEIXE UM COMENTÁRIO

Please enter your comment!
Please enter your name here