Basílica de Mariana - Cracóvia - Polônia
Basílica de Mariana - Cracóvia

A Polônia é um país com cicatrizes marcadas por um passado de extermínio de judeus durante a Segunda Guerra Mundial. Além da recessão econômica durante o domínio soviético e invasões que mantiveram o país fora do mapa até 1918. Nessa época a região era dividida entre Rússia, Prússia e Áustria.

Apesar dos problemas do passado, o país mudou sua história e está empenhado em crescer cada vez mais. Depois da entrada na União Europeia, beatificação do papa João Paulo II e Eurocopa 2012, a Polônia vem investindo cada vez mais um turismo, infraestrutura e capacitação de pessoas. Sem falar que é um povo que recebe bem os estrangeiros.

A Polônia é uma país onde você poderá ser testemunha da destruição causada por Hitler na cidade de Varsóvia. Ao mesmo tempo que se reergueu aos mínimos detalhes e hoje se tornou Patrimônio da Humanidade. A romântica cidade de Cracóvia, a pequena Wadowice que é berço do Papa João Paulo II e uma parada obrigatória em Auschwitz. O país nos encanta com seus palácios, igrejas, castelos, cidades históricas. Mais ao sul do país, montanhas, relevos, paisagens naturais de tirar o fôlego, uma culinária e cervejas de vários tipos.

Leia mais sobre outros destinos de viagem

Como chegar a Polônia

Não há voos diretos do Brasil. É preciso fazer conexão em uma das grandes capitais da Europa pelas companhias Lufthansa, Alitalia, KLM, Swiss, Air France e British Airways. Outras companhias mais baratas são Ryan Air e Easy Jet. Por terra, a empresa ferroviária PKP liga a Polônia a seus países vizinhos.

Como circular

A companhia ferroviária PKP atravessa o país conectando as principais cidades. Os trens são confortáveis, razoavelmente pontuais, estações bem localizadas, porém não muito rápidos. Outra boa alternativa para circular é de carro. As empresas de alugueis globais já estão instaladas no país. As estradas são bem conservadas, boa sinalização e regras de transito unificadas com o resto da Europa. Para trajetos mais longos dentro do país, a companhia LOT faz o percurso por preços bem custo-benefício.

Quando ir

A melhor época para visitar a Europa é nos meses mais quentes, de maio a setembro. O inverno é muito rigoroso e as estações do ano são bem demarcadas. Lembre-se que os meses de julho e agosto são alta temporada e os preços podem aumentar.

O que fazer

Auschwitz e Birkenau

Foram os dois maiores e mais famosos campos de concentração durante a Segunda Guerra Mundial. Recomendamos que contrate um tour em Cracóvia para evitar problemas até o local. Se preferir você pode ir de trem ou de ônibus.

Varsóvia

É a capital da Polônia, localizada ao lado do Rio Vístula. Foi destruída durante a Segunda Guerra Mundial e ao longo do tempo reconstruída nos mínimos detalhes. Patrimônio Mundial da UNESCO e vale cada segundo da sua visita. Abraçou a modernidade e oferece atrações como museus, palácios, restaurantes, lojas e cafés espalhados pela cidade. Possui um excelente sistema de transporte.

Não deixe de visitar o parque Lazienki que permite uma bela caminhada e abriga o palácio Lazienki. Old Town é a parte velha da cidade cercada de bares, restaurantes e perfeita para conhecer caminhando. Visite o Museu da Revolta de Varsóvia que mostra como o povo se reergueu após a Segunda Guerra. Krakowskie Przedmiescie é a avenida que liga a cidade velha a parte nova. Castle Square é uma das principais atrações de Varsóvia. Foi destruída, reerguida e hoje está na principal praça da cidade velha. Basílica de São João Batista é a igreja mais antiga de Varsóvia.

Cracóvia

A romântica cidade de Cracóvia é considerada a joia da Polônia com seus mais de 1000 anos de história. Foi capital do país e do governo geral nazista. É o centro acadêmico, cultural e artístico da Polônia recebendo o título de capital Europeia em 2000.

É um dos destinos mais procurados pelos poloneses. Oferece atrações como o centro histórico, Catedral de Wawel, Praça do Mercado com vários restaurantes e atrações turísticas. A Parte Velha de Cracóvia é um dos pontos mais visitados do país e abriga casarões e igrejas históricas. A Basílica de Santa Mariana é um dos cartões postais da cidade. Kazimierz é o bairro judeu. A famosa Mina de Sal de Wieliczka fica a 15 quilômetros de Cracóvia com sua arquitetura imponente e uma igreja completa feita de sal.

Gdansk

Essa cidade tem influência germânica, holandesa e flamenca. Gdansk é uma cidade portuária que possui uma das principais fortificações da Europa e várias atrações turísticas. Não deixe de conhecer a Igreja Santa Maria que é a maior igreja feita de tijolos. Catedral Oliva é a maior igreja da Polônia. Artus Court ponto de encontro de inúmeros visitantes e abriga o Museu Nacional de Gdansk.

Breslávia

Uma cidade construída sobre ilhas, cortada por diversos rios e canais. Por isso Berslávia é ligada por várias pontes. A Praça da Cidade e o Mercado são os principais pontos turísticos.

Zakopane

Uma cidade localizada ao pé das montanhas Tatra no sul da Polônia. Perfeita para quem gosta de esquiar. Com paisagens naturais e estilo típico de montanha, Zakopane também é perfeito para trilhas e outras atividades em outras estações.

Poznan

Fica em uma região conhecida como a Grande Polônia, cheia de estudantes e perfeita para se conhecer a pé. A cidade é considerada polo de negócios e recebe muitas pessoas com interesso comercial. Assim como Varsóvia, Poznan também sobre com a Segunda Guerra Mundial mas se reergueu ainda mais bela. Não deixe de conhecer a Catedral São Pedro e São Paulo que são as mais antigas do país.

Sopot e Sdynia

São as cidades da costa da Polônia voltadas para o mar Báltico. Foram totalmente destruídas durante a guerra e reconstruídas com total meticulosidade.

Porque visitar o país

  1. Se você é amante de boa cerveja saiba que a Polônia produz mais de 80 tipos. Uma curiosidade é que em média cada polonês bebe cerca de 90 litros de cerveja por ano.
  2. Há atrações para todos os gostos. Se você prefere o frio pode aproveitar os meses de Dezembro e Janeiro para ir a Zakopone no sul do país. Se preferir praia conheça as praias de Sopot, Gdansk e Gdynia no mês de Julho. Um pouco mais de história, visite Varsóvia e Cracóvia.
  3. Conheça os diversos castelos do país.
  4. Não deixe de provar os famosos pratos pierogi, pastel cozido com requeijão, batata, repolho e feijão. O lanche típico zapiekanka, uma baguete aberta com queijo, cogumelo e ketchup. De sobremesa paczki, bolinho tradicional no país a mais de três séculos.

Dica

  • Visto e vacina não são obrigatórios para entrar no país, apenas passaporte válido.
  • Durante as visitas aos campos de concentração, procure ir com um sapato confortável uma vez que irá caminhar bastante. As fotos devem ser tiradas sem o uso do flash e em alguns lugares é proibido. A visita não é recomendável para menores de 14 anos. Lembre-se de fazer total silêncio em respeito aos 1,5 milhões de judeus que morreram no local.
  • Apesar de fazer parte da União Europeia, a Polônia ainda não adotou o Euro. A moeda local é o Zloty (PLN). A boa notícia é que os preços praticados na Polônia são bem mais baratos do que no Brasil.
  • A Polônia está cinco horas a frente do Brasil.
  • A língua oficial é o polonês mas você consegue se virar bem falando inglês.
  • Não deixe de fazer seguro viagem pois não estamos imune de ficar doentes. O seguro é obrigatório nos países membros da comunidade Europeia.
  • A Polônia é um país extremamente católico e conservador. Muito mais que os países da América Latina.
  • Nas pequenas cidades do interior do país a população local não está acostumada a ver turistas. Em alguns casos podem ser até racistas e preconceituosos.

Crédito das fotos: divulgação

DEIXE UM COMENTÁRIO

Please enter your comment!
Please enter your name here